Os benefícios da homeopatia no tratamento das doenças Infantis




Minha trajetória, é igual a de muitos médicos pediatras que iniciam a sua vida e depois se veem numa encruzilhada.  Frente a tantas doenças infantis recorrentes, que precisam de medicação continuada e mais agressiva e sem conseguir sucesso na alopatia: CANSAMOS!
A opção pela homeopatia deveria ser oferecida na Faculdade Medicina, mas este paradigma, além de não ser ensinado ainda é menosprezado na falácia dos professores. Então ninguém é estimulado a estudar esta ciência tão antiga, que nos foi deixada por Dr.Samuel Hahnemann, assim como a medicina oriental tão milenar.
É bem difícil no começo, estudar esta ciência porque estamos focados na ciência do remédio. A terapia do CONTRARIO e não do SEMELHANTE. Hipócrates, da Escola de CÓS já falava das duas, mas é Galeno da escola de CNIDO nos trás a medicina dos contrários que passou a vigorar. Uma enfoca a saúde e o semelhante, a outra a doença e o diferente, anti.

SAÚDE + SEMELHANTE X DOENÇA + DIFERENTE

Muitos pacientes já vem para o homeopata desde bebes quando os pais escolheram esta terapia, por já terem informação sobre seus benefícios. Mas alguns, vem da alopatia querendo resultados imediatos, ainda com o mesmo raciocínio alopático, até para as doenças crônicas.

MUITAS PESSOAS ACREDITAM QUE O TRATAMENTO PELA HOMEOPATIA É MUITO LENTO. DEVEMOS, ENTRETANTO, ESTABELECER A DIFERENÇA ENTRE DOENÇA AGUDA E CRÔNICA.

Numa doença aguda, por exemplo, amigdalite, otite,  diarréia, vômito, o remédio homeopático quando é bem individualizado para o caso, pode muitas vezes, em questão de horas aliviar o paciente. Portanto, tão ou mais rápido que qualquer medicamento alopático. Nas doenças crônicas, o tempo de melhora vai ser longo, pois o nome já fala em cronicidade. O período de duração do tratamento vai depender da idade do paciente, de há quanto tempo se encontra doente, dos tratamentos feitos anteriormente. Quanto mais alopatia tomou, mas difícil curar este paciente, pois tudo o que fui suprimido pela medicação precisa retornar.
Tratar a doença crônica, vai depender de uma abordagem mais profunda, em conhecer este paciente do ponto de vista psicológico, emocional, afetivo, volitivo. Procuramos equilibrar o paciente como um todo e não só tratar sua doença (o tratamento das doenças crônicas em alopatia é interminável com efeitos colaterais severos). É preciso uma abordagem holística com mudanças de paradigmas e hábitos muitas vezes.
No tratamento das doenças crônicas, o que observamos é que os sintomas vão ficando mais fracos, os períodos de agravação mais longos, até que extermine aquela doença por completo. Em crianças isto é mais fácil de observar, porque doença crônica de criança, geralmente é asma , dermatite atópica, amigdalite de repetição e otite recorrente.  
Atendo muitas crianças com estas doenças, que se curam. Quando os pais se conscientizam da importância de não dar tantos medicamentos que estavam acostumados a usar e achar que esta era a solução. Alguns desistem e não tem paciência de cuidar de seus filhos nesta abordagem terapêutica que é muito eficaz, mas exige de você mais cuidados do que dar um remédio ruim a cada 12 hs.

O PENSAMENTO É SEMPRE SUFOCAR A DOENÇA. QUANDO O PENSAMENTO DEVERIA SER: POR QUE ADOECEU A CRIANÇA?

Em todas as doenças agudas ou crônicas devemos investigar, na história do paciente, os fatores desencadeantes, fundamentalmente os emocionais, que precederam em horas, dias ou meses a doença. Os sentimentos que aparecem nestes momentos são essenciais para a escolha do medicamento mais adequado.
Observamos no início da creche, crianças adoecerem 48 hs após. Será que era só o vírus dos amigos, ou porque até agora estava com minha mãe e fui deixada em local estranho?
O que sente aquele pequeno ser que não consegue nos falar? O corpo fala por ele: adoece de todas as formas possíveis. Nem sempre são doenças orgânicas, mas alterações do sono, da alimentação, birras, manhas. O que existe atrás disso?
Até que este pequeno ser possa nos comunicar suas fragilidades emocionais, vamos trabalhar com os pais para encontrar um medicamento que se ajuste a este serzinho.  

E ESTE TRABALHO É DINÂMICO, POIS A CRIANÇA ESTÁ SEMPRE EM TRANSFORMAÇÃO SOFRENDO AGRESSÕES EMOCIONAIS E FÍSICAS DO MEIO ONDE VIVE.

Os estudos modernos sobre Desbiose apontam para o uso indiscriminado de antibióticos, uso de antiinflamatórios não hormonais, como causa desta destruição da microbiota intestinal. Sabemos hoje que há comunicação intensa entre sistema nervoso central e sistema digestivo através do nervo vago e que o intestino transmite para o cérebro o que está havendo no seu interior trocando demandas. Isto merece uma outra discussão.
Mas saber que o uso da homeopatia, além de aumentar sua imunidade, lhe livra destas medicações agressivas e muitas vezes desnecessárias.
Parabenizo meus pacientes, pois são persistentes em busca de uma qualidade de vida para seus filhos. Digo que quem, trata o filho com homeopatia , tem mais AMOR por ele. E quem se trata se AMA mais.
Minha experiência de 25 anos de homeopata é bem positiva. Os ensinamentos de Hahnemann, a quem eu devoto gratidão e respeito, me ensinaram a usar menos medicamento com efeitos colaterais e prevenir as doenças. Exatamente há 25 anos não tive em minha clínica nenhum paciente com Meningite. E nem todos tem acesso a vacinação. Tenho pacientes de 19 anos que nunca tomaram antibiótico, mesmo tendo doenças bacterianas. Todos estes pacientes são prova viva da eficácia da Homeopatia e muitos poderão dar seu depoimento neste blog.
Obrigada
Hayde Haviaras
instagram @hayde.haviaras


Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial
Tecnologia do Blogger.